Citação direta nas normas da ABNT: imagem de destaque

Citação direta: como usar nas normas da ABNT

Você já escreveu um trabalho científico e teve dúvidas na hora de citar um autor? Isso é mais comum do que você imagina!

Afinal, as citações da ABNT são um elemento super comum e enriquecedor nas pesquisas científicas.

Isso porque, ao elaborar um projeto de pesquisa ou qualquer trabalho acadêmico, nós precisamos ter embasamento científico para desenvolver nossas ideias, correto?

E, para falar sobre trechos de livros, ideias de pesquisadores e especialistas, frequentemente recorremos ao uso das citações.

No entanto, para que os trabalhos não fiquem com diferentes formatações e seja mais fácil identificar as obras usadas como referências, as universidades e os eventos recorrem a um padrão de citação.

Assim, existe uma forma correta de citar alguém no seu trabalho, é só seguir os padrões da ABNT, que podem variar de acordo com os tipos de citações.

Mas eu tenho uma boa notícia: você não precisa se preocupar em decorar longas listas de normas!

-> Veja mais 5 normas ABNT que vão salvar o seu trabalho acadêmico

-> Aprenda a fazer um sumário nas normas da ABNT

É só escrever sem travas, salvar esse post e sempre consultá-lo na hora de revisar as suas citações e toda vez que tiver dúvidas sobre:

Para começar, antes de falar sobre citações diretas, precisamos conhecer melhor a instituição que define o que é uma citação, isto é, a ABNT.

Essa é a sigla para Associação Brasileira de Normas Técnicas, uma instituição privada, que é responsável pela normalização técnica no Brasil. 

Ou seja, ela elabora normas técnicas, conhecidas como NBRs, para diversas áreas, desde trabalhos acadêmicos às normas na área ambiental e têxtil.

Por exemplo, as regras para a formatação de citações em um texto estão presentes na NBR 10520 e é parte dela que vamos abordar hoje.

Você já deve saber que é difícil encontrar um trabalho acadêmico que não utilize citações.

Isso porque as produções científicas precisam de embasamento, por isso sempre referenciam trabalhos já escritos por outros autores e ganham mais credibilidade com isso.

Nesse sentido, a ABNT define como citações todas essas menções a informações extraídas de outra fonte.

Mas existem formas diferentes de citar outras fontes em textos acadêmicos, são as citações:

  • Direta: É a mais comum das citações, pois transcreve, literalmente, um trecho da obra, respeitando todas as palavras do autor.
  • Indireta: Se você acha que nunca usou uma citação, provavelmente não deve conhecer a citação indireta. Ela é usada sempre que falamos sobre outras obras com as nossas próprias palavras e sem citar as palavras exatas do autor.
  • Citação de citação: O famoso “apud”, do latim “citado por”, é a menção de uma citação dentro da obra de outra pessoa, sem que, necessariamente, tenhamos lido o autor citado.

Dentre esses três tipos de citações, a ABNT define que elas podem ser usadas tanto no texto, como nas notas de rodapé e a forma como aparecem são diferentes.

Tudo isso é tratado na NBR 10520, além das notas e grifos em trechos de citações.

Então vamos entender o que essa NBR fala sobre as citações diretas?

Como fazer citação direta?

Em primeiro lugar, é preciso saber que, de acordo com a ABNT, existem dois tipos de citações diretas: a curta e a longa.

Ambas são apresentadas de formas diferentes no texto, como nos exemplos abaixo.

São consideradas citações diretas curtas as citações com até três linhas.

Essas devem ser apresentadas no corpo do texto com aspas duplas e menção da página de onde o trecho foi extraído.

Como todas as citações, elas também devem ser referenciadas, mas a forma de citar o autor e a obra, conhecida como sistema de chamada, pode variar de acordo com cada instituição.

Nesse caso, os modelos adotados podem ser:

  • Autor-data: o sistema mais comum, no qual a citação vem seguida de sobrenome do autor em maiúsculo, ano da obra e a página. Por exemplo, (AUTOR, 2021, p. 3)
  • Numérico: Já no sistema numérico, as referências são listadas no final do texto de acordo com a sua ordem de aparição. Por isso, a citação não é referenciada com o ano da obra, mas apenas um número (1,2,3…) que indica a sua posição no texto.

São exemplos de citações diretas curtas:

Exemplo de citação direta curta no sistema de chamada numérico
Exemplo de citação direta curta no sistema de chamada numérico.
Exemplo de citação direta curta no sistema de chamada autor-data
Exemplo de citação direta curta no sistema de chamada autor-data.

Diferente das citações curtas, as citações diretas longas são aquelas que passam das 3 linhas.

Por esse motivo, elas são apresentadas de uma forma diferente no texto, seguindo as seguintes regras:

  • Deve ser destacada com recuo de 4 cm da margem esquerda
  • Letra menor que a do texto, a depende do modelo adotado pela instituição. Normalmente o recomendado é tamanho 10;
  • Espaçamento simples
  • Sem aspas
  • Paginação obrigatória

Da mesma forma, esse tipo de citação pode seguir qualquer um dos sistemas de chamada, sendo mais comum o autor-data que aparece entre parênteses, como no exemplo:

Exemplo de citação direta com mais de três linhas
Exemplo de citação direta com mais de três linhas no sistema de chamada autor-data.

Agora que você já sabe como usar citações no seu trabalho acadêmico, com certeza deve ter percebido que não dá para fazer isso sem as referências.

Por isso é bem perigoso achar que dá para seguir só uma norma da ABNT no seu trabalho.

Nesse caso, a ABNT especifica várias regras para diferentes tipos de referências e tudo isso está bem descrito na NBR 6023.

Bom, se você encontrar essa NBR vai perceber que ela é uma das normas mais extensas e possui especificações sobre as referências de diversos tipos de obras.

Mas a boa notícia é que existem ferramentas que podem nos ajudar a gerar referências de forma automática, salvá-las para facilitar a listagem no final do texto e muito mais!

Vamos conhecer as opções:

O EndNote é um software gerenciador de referências que permite fazer a formatação automática da bibliografia de suas pesquisas, organizar as referências e citações e criar sua própria biblioteca de referências.

Ele é ótimo para quem quer visualizar todas as referências já usadas em seus trabalhos e unir todas em um só lugar.

Assim como o Endnote, o Mendeley também é uma biblioteca de referências, mas ele possui ainda mais recursos.

O Mendeley é um gerador de referências automático. Ou seja, com ele você não precisa decorar todas as normas da ABNT sobre referências. Ufa!

Além disso, essa ferramenta é um ótimo gerenciador de arquivos em PDF, permitindo armazenar e compartilhar documentos e funcionando também como rede de conhecimento entre pesquisadores.

Outro gerenciador de referências é o Mecanismo Online para Referências (MORE), da Universidade Federal de Santa Catarina.

Por lá, é possível criar referências automáticas para vários tipos de obras, além de armazenar suas referências por coleções criadas segundo suas necessidades e/ou preferências.

Também é possível pesquisar e importar uma referência para o seu rol de referências.

  • Outras ferramentas semelhantes:

  1. RefWorks –  Ferramenta de gestão de referências e citações mantida pela Proquest por meio da interface Flow.
  2. Colwiz – Ferramenta de gestão de referências gratuita.
  3. Crossref Simple Text Query – Obtenha links persistentes para sua lista de referências ou bibliografia
  4. Google Acadêmico – Entre suas inúmeras funções, permite que você monitore as citações das suas publicações ao longo do tempo.

Conheça uma nova forma de publicar seus trabalhos

Por fim, se você chegou até as referências do seu trabalho, provavelmente ele está pronto para ser publicado.

E não queremos guardar tanto esforço dentro da gaveta, não é?

Até porque uma pesquisa científica não fortalece apenas o seu trabalho, mas colabora com a produção acadêmica do país e pode fomentar a discussão de outros pesquisadores.

Por esse motivo, é super importante que você compartilhe os resultados da sua pesquisa em eventos científicos, por exemplo.

Buscar eventos científicos

Além disso, há soluções, como a Even3 Publicações, que aumentam ainda mais o alcance da sua pesquisa, anexando-a na busca do Google, emitindo um DOI e gerando dados de visualização do seu trabalho.

Que tal experimentar?

Conheça a Even3 Publicações

Segredos e dicas sobre o mundo de eventos técnicos-científicos

Junte-se a milhares de pessoas que organizam e participam de eventos acadêmicos e científicos