Saiba como montar as referências bibliográficas da sua pesquisa!

direitos autorais

O livro: história e importância social

Com a invenção da prensa por Gutenberg em 1450, os livros se tornaram mais acessíveis à população. Antes da imprensa, os livros eram manuscritos produzidos por copistas, que por serem raros, eram também extremamente caros.

Com a produção por tipos móveis – primeiro processo industrial em que o homem conseguiu produzir objetos iguais em grandes quantidades – os livros tiveram uma difusão muito rápida, o que o tornou mais barato e acessível à população, que passou a considerá-lo um bem de consumo.

De acordo com o livro “Evolução na Comunicação” (GIOVANNI, Giovanni), a primeira biblioteca do copyright, termo em inglês que significa “direito autoral”, surgiu no reinado de Francisco I, em Paris. O rei exigiu que a biblioteca parisiense possuísse, ao menos, uma cópia de cada volume em grego da tipografia de Robert Estienne, impressor parisiense.

Atualmente, o livro é uma das principais fontes de aprendizado do ser humano. Com ele, é possível compartilhar culturas e conhecimentos dos mais diversos povos, levando ensinamentos de geração a geração. No século XXI, o acesso a grandes obras literárias tornou-se ainda mais fácil com a internet. Entretanto, o risco de violação dos direitos autorais também aumentou.

Direitos Autorais

É comum, ao elaborarmos uma pesquisa científica, utilizarmos ideias, imagens e trechos de obras reconhecidas pela comunidade científica. Para evitar possíveis estresses na hora de publicar a sua pesquisa, é importante sempre dar os “créditos” e confirmar a autoria dos dados e conteúdos que não foram produzidos por você, mas por outros pesquisadores, professores ou estudiosos. Para garantir os direitos autorais, em 19 de fevereiro de 1998, foi criada a Lei Nº 9.610. 

O que é Direito Autoral?

É o direito do autor, do criador, do tradutor, do pesquisador, do artista, de controlar o uso que se faz de sua obra. Consolidado na Lei 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, garante ao autor os direitos morais e patrimoniais sobre a obra que criou. (Associação Brasileira de Direitos Reprográficos)

O que é “pirataria editorial”?

A pirataria intelectual, ou seja, a utilização e reprodução não autorizadas de obras intelectuais (marcas, patentes e obras literárias, artísticas e científicas) com finalidade de lucro geram bilhões de prejuízos aos titulares dos direitos e aos mercados estabelecidos.

No caso específico da “pirataria editorial”, os prejuízos atingem a todos, principalmente aos autores e editores. Aos autores, porque têm seus direitos intelectuais impunemente violados e seu trabalho usurpado. Aos editores por encontrarem no mercado obras, pelas quais pagaram os direitos autorais e de edição, completamente sem qualidade, reprografadas ilegalmente, o que lhes acarreta sérios e graves prejuízos morais e materiais.  (Associação Brasileira de Direitos Reprográficos

Aprenda a criar as referências bibliográficas de acordo com as normas da ABNT

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) estabelece um padrão para o uso de referências bibliográficas em uma pesquisa.

Referências Bibliográficas:

  • Livros em geral:

SOBRENOME DO AUTOR, Nome ou iniciais do autor. Título do livro: subtítulo (se existir). Edição. Local: Editora, ano.

Exemplo:

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. 22ª edição. São Paulo: Ed. Cortez, 2005.

  • Jornais e Revistas:

TÍTULO DO JORNAL OU DA REVISTA. Local: Editora, nº da edição, data de publicação.

Exemplo:

REVISTA BRASILEIRA DE GEOGRAFIA. Rio de Janeiro: IBGE, 23ª edição, 2005

  • Artigo de Revista

SOBRENOME DO AUTOR DO ARTIGO, Nome ou iniciais. Título do artigo e páginas.

  • Dicionários:

SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo (se existir). Local: Editora, data. Número de páginas ou volume (opcional)

Exemplo:

FERREIRA, Aurélio B. de Hollanda. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 2. Ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. 1838 p.

  • Documentos eletrônicos com autor

SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo (se houver). Local: Editora, Ano. Disponível em: <endereço eletrônico> Acesso em: dia, mês e ano.

Exemplo:

ALVES, Castro. Navio Negreiro. Disponível em:< http//www.terra.com.br/virtualbooks/freebook/port/Lport2/navionegreiro.htm > Acesso em: 10 jan. 2004

  • Trabalhos apresentados em congressos

SILVEIRA, Ruth Garcia. Gestão financeira e técnicas de análise de risco. In.: ENCONTRO NACIONAL DE FINANÇAS APLICADAS, 12, 2001, Fortaleza. Anais do 12º Encontro Nacional de Finanças Aplicadas. Fortaleza, ANE, 2001.

  • Monografias, teses e dissertações

SOBRENOME, Nome ou iniciais. Título: subtítulo (se houver). Ano, nº de folhas. Monografia, tese ou dissertação (área). Instituição ou Universidade.

Exemplo:

CARTONI, D. M. Organização do trabalho e gestão da inovação: estudo de caso numa indústria petroquímica brasileira. 2002. 142f. Dissertação (Mestrado em Política Científica e Tecnológica) — Instituto de Geociência, Universidade de Campinas, Campinas/SP.

  • Parte de Monografia

 SOBRENOME, Nome. Título: subtítulo (se houver). In.: Referência completa da monografia no todo. Informar ao final a paginação correspondente à parte.

Exemplo — Capítulo de livro

LEITE, Eduardo de Oliveira. A família monoparental como entidade familiar. In.: Teresa Arruda Alvim (coord.). Repertório de Jurisprudência e Doutrina sobre Direito da Família. São Paulo: Revista dos Tribunais, 1995, p. 44-70.

Fontes:

GIOVANNI, Giovanni. Evolução na Comunicação. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1987.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

modelos de trabalhos nas normas da abnt download gratis

Comentários

comments

RECEBA Nossas Novidades

Comments