Entenda o que é o Qualis Capes

Esclarecendo tudo sobre o Qualis Capes

“Qual o Qualis Capes da Revista?” 

“Você precisa escolher um periódico com um bom Qualis”

“Não escolha onde publicar sem antes conferir a classificação Qualis da revista”

Certamente você já se deparou com alguma situação semelhante a essas no ambiente acadêmico. São os interessados em ingressar em cursos de pós-graduação ou os pós-graduandos que costumam trazer o assunto “Qualis Capes” à tona. 

Entender o que é Qualis Capes é fundamental para saber quais as revistas científicas são mais bem avaliadas e possuem credibilidade para se submeter um artigo. Mas atenção: este não deve ser seu único critério. 

Elaboramos um texto com dicas do que se deve levar em conta na hora de escrever e publicar artigos científicos. 

→ Entenda aqui: Guia sobre como e onde publicar artigos

O Qualis Capes pode ser ainda um excelente caminho para atribuir relevância ao seu currículo e conquistar uma vaga no tão sonhado mestrado. Vamos te explicar o porquê.

Qualis Capes: o que é?

Muita gente confunde, mas o Qualis não é uma base de indexação de periódicos. Então, não adianta solicitar a inclusão da sua revista no Qualis.

Isso porque o Qualis funciona como uma ferramenta de avaliação, desenvolvida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), de programas de pós graduação no País. 

Dentro do universo Qualis da Capes, existe o Qualis Periódicos, o mais famoso entre os pesquisadores, e também o Grupo de Trabalho Qualis Artístico / Classificação em Eventos

O Qualis Periódicos é responsável por classificar a produção científica desenvolvida pelos cursos de pós graduação do País a partir dos artigos publicados em revistas científicas. Mas essa classificação não é absoluta e está em constante evolução e aprimoramento.

Já o Qualis Artístico e de Eventos visa aprimorar o processo de classificação das produções artísticas e publicações em anais de eventos científicos, gerando como resultado parâmetros para a avaliação das áreas.

O Qualis opera através da Plataforma Sucupira. É dela que recebe toda a base de dados necessária para gerar a classificação dos programas de pós graduação brasileiros. 

Para que serve?

Sendo bem objetivo: a função do Qualis Capes é avaliar a produção científica desenvolvida pelos programas de pós graduação brasileiros de nível stricto sensu, ou seja, os mestrados e doutorados. 

Isso significa que, consequentemente, o Qualis também tem o objetivo de garantir uma maior qualidade à formação de mestres e doutores do País. Além de identificar assimetrias regionais e de áreas estratégicas para criar e expandir programas de pós-graduação no Brasil. 

Para isso, foi desenvolvida uma ferramenta com critérios de avaliação dessa produção científica. 

Assim como qualquer outro objeto de estudo científico, esses instrumentos de avaliação do Qualis Capes passam por frequentes aprimoramentos. Então, recentemente, em julho de 2019, os critérios de avaliação dos periódicos foram revistos. 

Qualis Periódicos: entenda a classificação

A classificação mais recente do Qualis Periódicos leva em consideração os seguintes aspectos metodológicos:

Classificação única 

Cada periódico recebe apenas uma qualificação, independentemente da quantidade de áreas de avaliação às quais foi mencionado.

Classificação por áreas-mães

Os periódicos são classificados em áreas-mães, isto é, são agrupados e colocados na área em que tiveram maior número de publicações nos anos de referência avaliativo. A classificação do Qualis é trienal, então, ocorre a cada 3 anos. 

Classificação do Qualis Referência 

A atualização de julho de 2019 passou a avaliar os periódicos que já faziam parte da base do Qualis Capes, a partir de um modelo matemático. 

Essa modelo matemático levou em consideração três indicadores bibliométricos: o Cite Score, o Fator de Impacto e o índice h5. Eles basicamente se referem ao número de citações recebidas pelos periódicos nas seguintes bases:

  1. Scopus (CiteScore), 
  2. Web of Science (Fator de Impacto) 
  3. Google Scholar (índice h5)

Por isso, é muito importante publicar os artigos com códigos identificadores como o DOI, que ajudam a contabilizar o número de citações recebidas do trabalho.

–> Saiba mais: O  que é o DOI e como obter um para o seu artigo científico. 

Com isso, a Diretoria de Avaliação do Qualis montou uma lista de periódicos pré-classificados, chamados de Qualis Referência. 

Na prática, como funciona o Novo Qualis Periódicos?

Decifrando as informações acima, agora o Qualis Periódicos classifica cada revista ou periódico científico de acordo com a sua área mãe, ou seja, sua área principal de atuação. 

Cada periódico só pode ser inserido em apenas uma área-mãe, que é aquela em que ele possui o maior número de publicações. Ou seja, ele só recebe uma “nota” Qualis. 

Isso acaba com o que era proposto anteriormente: um mesmo periódico, antes dessa atualização, poderia se encaixar em mais de uma área do conhecimento. Com isso, alguns periódicos subiram no nível de classificação e outros, caíram. 

A grande vantagem dessa nova forma de classificação está em garantir a comparabilidade entre as áreas e suas respectivas publicações. 

Fora isso, o Qualis Capes adota indicadores bibliométricos utilizados internacionalmente, o que também permite estabelecer comparações de revistas nacionais com os periódicos estrangeiros. 

A classificação funciona da seguinte forma, vai de A1, o de avaliação mais alta, a C, o de avaliação mais baixa. 

estratificação do qualis capes

Como realizar uma busca por periódicos no Qualis?

A busca por periódicos na Plataforma Sucupira ainda não contempla a nova classificação do Qualis, visto que ela só terá sua versão final consolidada após a versão final até a próxima Avaliação Quadrienal em 2021. 

Entretanto, ainda é possível realizar a busca na Plataforma Sucupira por periódicos e revistas científicas avaliadas no Triênio 2010-2012 e no Quadriênio 2013-2016.

É só acessar o link: Pesquisa Geral de Periódicos – Qualis Capes

Nessa forma de busca, você consegue encontrar periódicos por:

  1. Evento de classificação: Triênio 2010-2012 ou Quadriênio 2013-2016.
  2. Área de avaliação
  3. ISSN
  4. Título da publicação
  5. Classificação: aqui, ainda vale a classificação anterior (A1, A2, B1, B2, B3, B4, B5, C)

Qualis Eventos: entenda a classificação

Para um trabalho ser publicado nos anais de um evento, ele precisa atender a critérios de classificação exigidos pelo próprio evento. 

Da mesma forma, opera o Qualis Eventos. Os eventos estão incluídos no GT (Grupo de Trabalho) Artístico Cultural e de Classificação de Eventos.

Os eventos precisam atender a critérios específicos estabelecidos para serem reconhecidos pela Capes. 

Alguns desses critérios são itens obrigatórios, outros são recomendados e, por isso, ajudam na classificação já que trabalham com um sistema de estratificação de pontos (A1 a C). E ainda há os critérios indutores, utilizados quando o produto tem potencial relevância para a área de atuação. 

Ficou confuso(a)? Calma, que irei te explicar cada um deles. 

Critérios obrigatórios do Qualis Eventos

Os critérios obrigatórios são os que determinam a classificação de um evento no conceito Qualis Eventos. São eles:

  • Aderência à pesquisa

A produção deve ser aderente à pesquisa realizada no Programa de Pós-graduação (projeto, grupo ou rede, linha de pesquisa).

  • Ter reconhecimento da Entidade Científica

 É importante que o evento seja reconhecido, de forma explícita (na forma de promoções ou apoio), por uma entidade científica respeitada. Isso mostra que ele tem uma boa aceitação na área. 

  • Comitê Científico representativo

O comitê científico deve ser composto por pesquisadores atuantes e de reconhecida liderança na subárea do evento.

  • Publicação de trabalho completo nos Anais

O evento pode incentivar a publicação de trabalhos curtos, resumos e resumos expandidos, mas a publicação de trabalhos completos é a forma reconhecida de divulgação. E é um item obrigatório para o Qualis Eventos. 

  • Avaliação por pares

Os trabalhos devem ser avaliados por pares antes de serem publicados, como forma de assegurar a qualidade técnica e a relevância científica. Por isso, o Qualis Eventos determina que os eventos possuam e deixem explícitos os critérios de revisão por pares. 

–> Entenda aqui como funciona a avaliação por pares.

  • Registro da Publicação em Bibliotecas Digitais

O trabalho deve ser disponibilizado em bibliotecas digitais de amplo uso. Os dados bibliográficos do trabalho devem ser facilmente acessíveis e também devem estar disponíveis para download.

Critérios classificatórios do Qualis Eventos

  • Abrangência da entidade/associação científica

Analisa por qual instituição o evento é promovido: associação científica nacional, associação científica internacional, grupo de pesquisa ou programa de pós-graduação. 

  • Composição do comitê científico

Analisa quem compõe o comitê científico do evento: se são membros nacionais ou internacionais.

  • Impacto dos trabalhos

Verifica os impactos social, cultural e acadêmico dos trabalhos publicados nos anais daquele evento. Além de analisar medidas bibliométricas, como índice h5 e o Fator de Impacto. 

Critérios indutivos do Qualis Eventos

Em última medida, são analisados os seguintes aspectos de indução do evento: relevância 

para a formação discente, relevância para a Área em regiões estratégicas, relevância acadêmica (avanço científico-acadêmico) e, por fim, a relevância regional, nacional, internacional.

Consegui te dar um panorama geral sobre o que é e como funciona o Qualis Capes? Cada dia, é mais importante ter uma pesquisa reconhecida por um periódico ou evento científico de qualidade.

Tem um material e deseja publicar?

Segredos e dicas sobre o mundo de eventos técnicos-científicos

Junte-se a milhares de pessoas que organizam e participam de eventos acadêmicos e científicos