issn

ISSN: o identificador das revistas e anais de eventos

Chegou a vez de falarmos do identificador das publicações seriadas, o ISSN.

Para que você consiga entender, de forma clara, como funciona o ISSN, vamos pensar da seguinte forma.

No Brasil, existem várias pessoas com o nome de “Maria Silva”, certo?

Partindo desse raciocínio, é muito provável que existam também várias revistas e periódicos com nomes iguais ou bastante parecidos, concorda?

Então, assim como a Maria Silva, do Recife, possui um número de RG X e a Maria Silva, do Rio de Janeiro, um RG Y, cada publicação seriada vai carregar seu próprio número de RG ou CPF.

É essa numeração ou “identificação” que vai diferenciar uma revista de outra ou os anais de um evento, de outro. Tornando-os únicos.

Essa é uma das funções do ISSN: registrar e individualizar publicações seriadas.

O ISSN é apenas um dos identificadores existentes no universo das publicações, você também já deve ter ouvido falar do ISBN e do DOI.

–> ISBN, ISSN x DOI: entenda as diferenças!

Mas hoje, vamos nos dedicar inteiramente a responder todas as suas dúvidas sobre o ISSN. Vamos lá?

ISSN, o que é?

ISSN é a sigla para International Standard Serial Number ou, em português, Número de Publicação Seriada.

Funciona como um identificador, ou código único, que torna exclusivo o título atribuído a publicações seriadas, como revistas, anais de eventos e monografias seriadas, em uma determinada mídia ou suporte.

Cada publicação seriada carrega consigo apenas um ISSN e ele é intransferível. A partir do momento em que é atribuído para uma publicação seriada, ele deve aparecer em cada exemplar.

Uma das vantagens de ter um ISSN para a publicação é que o código tem validação internacional.

Todas as numerações são geridas pelo Centro Internacional do ISSN e, no Brasil, ele é emitido pelo Centro Brasileiro do ISSN (CBISSN) que, por sua vez, integra o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT).

Estrutura

Esse identificador é composto por 8 dígitos, que são separados por um hífen, formando dois grupos de 4 dígitos cada.

Para apresentar o identificador, você sempre utiliza a sigla antes da numeração.

Por exemplo: ISSN 2763-6003 – Refere-se aos Anais da Jornada Científica UNESC.

Quais publicações recebem o ISSN?

As publicações que estão aptas a receber o ISSN são aquelas consideradas seriadas, isto é, que possuem periodicidade.

O caso das revistas, por exemplo. Sabemos que, quando uma editora lança uma revista, ela não será uma revista de edição única.

As revistas são publicações com continuidade. Então, possuem várias edições.

O intervalo entre uma edição e outra, ou seja, sua periodicidade, pode ser semanal, quinzenal, mensal… Isso vai depender da revista.

Contextualizando:

A revista Pequenas Empresas e Grandes Negócios pode contar com 10, 20 ou 30.000 edições – que variam no seu conteúdo – , no entanto, vai possuir um único ISSN e este vai aparecer em cada um dos exemplares.

Sendo assim, são publicações contínuas e que recebem esse tipo de numeração:

  • Revistas
  • Anuários
  • Jornais
  • Relatórios
  • Anais de Eventos – a partir da segunda edição, já que é preciso comprovar a periodicidade do evento.
  • Monografias Seriadas – São documentos independentes, que, além de possuírem seus próprios títulos, relacionam-se entre si mediante um título comum. O título da série, que é o título comum, recebe um ISSN, e cada tema tratado na série receberá um ISBN.
  • Seminários
  • Suplementos independentes – são as publicações fora do corpo da revista
  • Alguns sites da internet

Quais publicações não recebem o identificador?

  • Sites, sites comerciais, páginas pessoais na Web e páginas da internet que contenham apenas links para outras URLs;
  • Publicações em PDF, cuja página (URL), seja disponibilizada com a extensão PDF;
  • Folders, cartazes, hotsites e blogs;
  • Publicações impressas do tipo: agendas, manuais, folders, cartazes, livros, material didático, publicações com periodicidade definida (coleção fechada), calendários, mapas e catálogos de exposição.

Quando solicitar um novo ISSN?

Em alguns casos, é necessário emitir mais de um ISSN para a publicação. Veja quais são eles:

Obras em diferentes idiomas

Obras editadas em diferentes idiomas recebem ISSNs diferentes. Exceto se a obra for multilíngue (os anais de um evento podem ter textos em mais de uma língua, por exemplo).

 Obras em diferentes suportes

Quando a obra está presente em diferentes suportes, como o físico e o eletrônico, ela recebe ISSNs diferentes, um para o físico e outro para o eletrônico.

Um exemplo comum:

Uma revista é lançada inicialmente na versão impressa e opta, posteriormente, por ter uma edição digital, nesses casos, seus editores deverão solicitar um ISSN para a versão digital, que terá uma nova numeração.

Em quais casos NÃO é necessário solicitar um novo ISSN?

Essa é uma dúvida muito comum. Será que, por exemplo, se eu mudar de editora, eu preciso solicitar um novo ISSN? A resposta é NÃO!

Nesse e nos casos a seguir, em que há alguma mudança de informação no “cadastro” da sua obra, você deverá somente solicitar a atualização dos dados.

Não é preciso emitir um novo identificador quando houver:

  • Mudança de editora;
  • Mudança de local de publicação;
  • Mudança de frequência;
  • Mudança de política editorial.

Como obter um ISSN?

Antes de tudo, é preciso ver se a sua publicação atende a alguns critérios. Esses critérios vão variar de acordo com o tipo de suporte da obra.

Depois de verificar os critérios, você deve preencher um formulário e enviar à Agência do ISSN.

O processo costuma ser bastante minucioso e burocrático. Por isso, contar com a expertise de bibliotecários e especialistas para lidar com esses trâmites é uma excelente opção para evitar estresses desnecessários e fazer com que o seu identificador saia mais rápido.

É justamente por isso que contamos com esses profissionais na nossa equipe da Even3 Publicações, para facilitar a obtenção do seu ISSN. Eles analisam cada detalhe da sua publicação para que tudo esteja de acordo com as exigências internacionais.

Quero obter meu ISSN

Mas voltando às exigências…

Para obras online

Para obras disponíveis na internet, é necessário:

  • Que a URL da publicação não faça menção à edição.
    • Ex: não pode ser: /anaisdo8congressodemedicina. Tem que ser: /anaisdocongressodemedicina.
  • Que o site possua os seguintes menus:
  • Apresentação
  • Edição atual
  • Edições anteriores
  • Expediente
  • Normas de publicação
  • O título da publicação também deve estar padronizado. Isto é, deve aparecer de forma consistente em todos os locais onde for citado.

Para obras impressas

Já as obras impressas, de caráter científico, precisam:

  • Padronizar o título em todos os locais da publicação (ex.: capa, folha de rosto, expediente, editorial ou apresentação etc);
  • Boneca definitiva contendo:
  • Capa – com título da publicação e designação numérica (volume e ano)
  • Folha de rosto
  • Expediente
  • 1ª página do Sumário
  • Editorial ou Apresentação
  • Cópia da 1ª página de um dos artigos que irá constar na publicação.

Posso obter ISSN para um artigo científico?

Para o artigo individualmente, não.

No entanto, o autor de um artigo publicado nos anais de um evento científico pode informar o ISSN atribuído aos Anais, de forma geral, na hora do preenchimento do currículo Lattes.

Caso queira especificar o artigo em si, de forma individualizada, você pode gerar um DOI, o “Identificador de Objetos Digitais”, que também é reconhecido internacionalmente pelo meio acadêmico, caso a publicação esteja disponível na internet.

Assim, o conteúdo do artigo poderá ser divulgado e, também, encontrado por outros pesquisadores de forma mais assertiva e direcionada.

Quero um DOI para a minha publicação

ISSN: consulta, como fazer?

Consultar ISSN é bem simples. É só acessar o site do Centro Internacional do ISSN.

Por lá, você consegue realizar a busca tanto pelo título da publicação como também pela numeração do ISSN.

  1. Acesse: https://portal.issn.org/
  2. Digite o título da publicação ou o ISSN
  3. Clique no botão “Search”

CONSULTA ISSN

Você será redirecionado a uma tela com as principais informações da obra pesquisada e poderá verificar, por exemplo:

  • Como foi registrado o título da publicação
  • Qual foi o Centro do ISSN responsável pelo registro
  • O link onde a publicação está disponível
  • Quando foi feita a última edição
  • Qual a mídia/suporte em que ela está disponível: impressa ou eletrônica
  • O número identificador da publicação – caso você tenha pesquisado pelo título

como consultar o issn

Também é possível:

  • Imprimir essas informações
  • Compartilhá-las nas principais redes sociais
  • Copiar o código das informações

Bem legal, né? E sem muitos mistérios.

Qual a diferença entre ISBN e ISSN?

Muita gente confunde ISBN com ISSN. E, de fato, as siglas são bem parecidas e os dois são identificadores de publicações.

Porém a principal diferença entre ISBN e ISSN está no fato de que, enquanto o ISSN, como falamos aqui, identifica obras seriadas,  já o ISBN é o International Standard Book Number, um sistema internacional que identifica e individualiza publicações segundo autor, país, editora e, também, de acordo com cada edição.

Por isso que, Anais de Evento, podem receber tanto ISBN para cada uma das suas edições e um ISSN para identificar a publicação como um todo, ou seja, o conjunto de publicações seriadas.

Agora você está expert no assunto. Precisa solicitar o seu identificador ou publicar os anais de um evento? Conte com a Even3 Publicações!

Segredos e dicas sobre o mundo de eventos técnicos-científicos

Junte-se a milhares de pessoas que organizam e participam de eventos acadêmicos e científicos