Currículo: tipos e dicas de como preencher o seu

Currículo Lattes

Sabe o que as pessoas que estão iniciando agora a carreira profissional e as que já estão há anos no mercado de trabalho têm em comum?

Muito provavelmente passaram pela experiência de elaborar um Currículo.

O que muita gente não sabe é que existem, no Brasil, basicamente dois tipos de currículo: o Currículo Vitae e o Currículo Lattes.

Se você está desesperado e não sabe o que é, para que serve cada tipo ou que informações colocar no seu currículo, calma! Neste artigo você vai aprender, definitivamente, como elaborar um currículo.

O que é currículo?

Independentemente do tipo, currículo é o primeiro contato que você vai ter com as oportunidades de carreira.

Essas oportunidades podem acontecer tanto no âmbito profissional como na esfera acadêmica.

–> Confira agora 10 dicas de como construir uma carreira acadêmica de sucesso!

Sabe aquele ditado “a primeira imagem é a que fica”? O currículo é exatamente a primeira imagem, isto é, a primeira impressão que uma empresa terá de você.

Por isso, elaborá-lo exige responsabilidade! Você não quer causar uma péssima primeira impressão, né?

É no currículo ou curriculum (grafia em latim) que você escreve todo o seu histórico acadêmico e profissional.

Por ser um documento de apresentação de um candidato a uma empresa ou instituição de ensino, o currículo funciona como uma “vitrine”, como um cartão de visitas. 

Logo, esse documento tem que ser atrativo (mas sem ser exagerado), verdadeiro e deve passar a mensagem certa para o cliente certo.

Entenda que, nesse caso, o cliente vai ser exatamente a empresa ou a instituição onde você estará aplicando o seu currículo.

Por isso, é muito importante saber em que situações utilizar o Currículo Lattes e o Currículo Vitae. E que informações devem ser colocadas e destacadas em cada um dos casos.

Um currículo bem elaborado, redigido corretamente (e honesto) aumenta consideravelmente as chances de você conseguir uma vaga de emprego ou uma bolsa de estudos e de pesquisa.

Preparado para entender os tipos de currículo e começar a elaborar corretamente o seu?

Tipos de currículo: Lattes e Vitae

Currículo Lattes

Na área acadêmica, o currículo Lattes é o mais comum. Ele é utilizado por estudantes, pesquisadores, graduandos, mestrandos, doutorandos e pesquisadores já formados.

Toda comunidade científica brasileira usa o currículo Lattes. Então, se escrever e publicar artigos está nos seus planos, você precisa ter um currículo Lattes.

Se seguir carreira acadêmica e ser pesquisador ou professor também está entre os seus objetivos, ter um Lattes é essencial.

A Plataforma Lattes (do CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) criou esse tipo de currículo justamente com o intuito de unificar, padronizar e sistematizar a forma de se apresentar um histórico acadêmico.

No Lattes, você tem a opção de adicionar toda a sua vida acadêmica e científica de forma detalhada.

Por exemplo, você pode atribuir informações do seu histórico escolar e de grupos de pesquisa que participou na faculdade. Ou ainda de palestras que concedeu e participou e de trabalhos que submeteu em eventos científicos.

A plataforma se tornou um padrão nacional do registro de vida acadêmica e é adotado por instituições de ensino e de fomento à pesquisa.

Por isso, é majoritariamente utilizado por aqueles que participam de programas de iniciação científica e tecnologia, bolsas de estudo, grupos de pesquisa e eventos.

→ Guia de como criar um currículo Lattes: que informações não podem faltar no seu.

Currículo Vitae

Fora da área acadêmica, o currículo mais utilizado é, sem dúvidas, o Curriculum Vitae, que também é conhecido como CV.

Esse é o Currículo que deve ser enviado para vagas de emprego que não sejam da área acadêmica, como gerente, eletricista, assistente, motorista, secretário, entre tantas outras.

Segundo o latim, a expressão curriculum vitae significa “trajetória de vida”.

Ele reúne dados profissionais, acadêmicos e também pessoais do indivíduo.

O Vitae não possui um modelo padrão e, por isso, sua organização é bem mais simples e adaptável.

Ou seja, uma mesma empresa pode receber Currículos Vitae formatados de maneiras distintas, mesmo que eles tenham sido aplicados para uma mesma vaga.

Tudo porque não existe um modelo “certo” ou “definitivo” a ser seguido.

Entretanto, algumas empresas, nos dias de hoje, têm solicitado que os candidatos preencham formulários específicos para as vagas de emprego.

Essa é uma forma de padronizar o envio e o recebimento dos currículos.

Mas tenha em mente que, se a empresa não especificar que informações ou como estas informações devem estar dispostas, pressupõe-se que a formatação do currículo Vitae seja livre.

Não se esqueça: sintetizar suas habilidades em um currículo é a primeira etapa para que você se apresente ao mercado de trabalho.

Um currículo bem feito vai ajudá-lo a “vender” a sua imagem, passando uma boa impressão, além de fazer referências às suas experiências anteriores.

Então os formatos dos currículos vitae e Lattes são diferentes?

Sim. O formato dos dois modelos abordados diferem por conta da sua própria natureza.

O Lattes possui uma plataforma que padroniza as informações sem que o usuário se preocupe com sua forma e a apresentação.

Ele é completamente online e possui uma ligação com o site da Receita Federal, comprovando assim informações básicas, o que dificulta a ocorrência de fraudes.

Ele também exige comprovação de todas as habilidades declaradas no momento da inscrição. Se, por exemplo, você fez um curso que não teve certificado, ele não terá utilidade para a plataforma.

Já o Currículo Vitae varia muito.

Você pode até encontrar sites que automatizam a produção do Currículo Vitae e baixar diferentes modelos de currículos.

O candidato pode escolher, por exemplo, o modelo de currículo que mais combina com o perfil dele ou com o da empresa para onde ele irá tentar a vaga.

Para que não restem dúvidas: onde utilizar cada currículo?

Quer ingressar no mercado de trabalho? O Curriculum Vitae é o mais indicado para você!

Solicitado por grande parte das empresas, o objetivo desse formato é o de apresentar o candidato e as suas habilidades para a vaga concorrida, que pode ser um emprego ou estágio.

Já o Lattes mostra suas aptidões acadêmicas de forma detalhada.

Ele é utilizado também como um critério avaliativo para concorrer a bolsas de iniciação científica, por exemplo.

Por ser uma ferramenta do CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, ele também une, por meio de um padrão, várias universidades brasileiras, sejam elas públicas ou privadas.

Como preencher o currículo: que informações não podem faltar?

Como o Currículo Lattes é padronizado e gerado automaticamente pela plataforma do CNPq, trarei dicas de como preencher o seu currículo vitae e, mais adiantes, práticas do que fazer e do que não fazer (ou ao menos evitar) na hora de enviar o seu currículo.

Confira algumas informações não podem ficar de fora do seu currículo.

Dados pessoais

Nome completo, endereço residencial, estado civil, telefones para contato e e-mails são informações essenciais no currículo de qualquer pessoa. Independente da área de atuação.

Caso tenha redes sociais, é bom colocá-las. Nos dias de hoje, as empresas sempre procuram identificar o comportamento e o perfil das pessoas que estão contratando.

Histórico acadêmico

Deixe claro no seu currículo a atividade acadêmica mais recente que você concluiu ou aquela que você está cursando (caso esse seja o seu caso).

É importante dar informações extras como local do curso, turno, período e previsão de conclusão.

Ex. Cursando Graduação em Jornalismo, 6º período – Turno: Manhã / Local: Universidade de São Paulo. Previsão de Conclusão 2020.2

Histórico Profissional

Destaque suas experiências mais relevantes no mercado de trabalho, suas atribuições e o período em que esteve naquela função.

Ex. Vendedora nas Lojas X durante o perído de março de 2018 a dez 2018. Função: organizar estoque, atender clientes.

Assistente de Marketing durante o período X. Função: Produção de conteúdo para redes sociais.

Além disso, são informações que agregam valor ao currículo de qualquer pessoa.

  • Idiomas

Destaque o nível de leitura, escrita e fala que tem no idioma.

É iniciante, intermediário ou avançado? Possui certificados ou provas de proficiência na língua?

  • Experiências acadêmicas ou de trabalho no exterior

Destaque o período, onde estudou ou trabalhou.

  • Cursos

Os cursos podem ter sido na sua área de atuação ou em qualquer outra área que agregue valor à sua carreira profissional. Não se esqueça de que cursos com certificados são ainda mais valiosos, pois transmitem maior credibilidade.

→ Ache agora um curso ou workshop perto de você e aprimore o seu currículo.

  • Participação em eventos

Participar de eventos é uma excelente maneira de conhecer profissionais, trocar experiências e conquistar oportunidades no mercado de trabalho.

Se você apresentou artigos, pôsteres ou trabalhos acadêmicos, não deixe de mencioná-los no currículo.

Para incrementá-lo, encontre e participe de um evento perto de você.

→ Saiba como encontrar eventos por área de interesse, data e que aconteçam perto de você.

  • Livros e trabalhos científicos publicados

Artigos científicos publicados em periódicos, livros de sua autoria. Toda publicação pode ser incluída no currículo.

→ Guia sobre como e onde publicar artigos científicos.

  • Conhecimento de programas de computador

Dependendo da sua área, dominar programas como Excel, Photoshop e Illustrator pode ser requisito para preencher a vaga de emprego.

Por isso, não os deixe de fora.

  • Prêmios

Participou de competições da sua área, ganhou prêmios ou menções honrosas? Essas informações valem ouro!

Na hora de preencher o seu currículo, o mais importante é ter bom senso. Não minta, mas também não exagere. Coloque as informações que julgar serem importantes para aquela vaga que irá se candidatar.

Não tenho experiência e agora? O que colocar no currículo?

Se essa é o seu primeiro emprego ou primeira oportunidade no mercado, minha primeira dica é: tenha calma.

Não é vergonhoso dizer que não tem experiência, que nunca trabalhou na vida. Todo mundo já teve um primeiro empregou ou um primeiro estágio.

Seja honesto(a) e não tenha medo de colocar “sem experiência profissional” no currículo. Mas calma, vou te dar uma dica de como tornar o seu currículo mais atrativo

Tente fazer cursos na área em que pretende atuar. Participe de workshops, palestras e esteja sempre atualizado sobre o mercado.

Curso gratuito de produção de eventos

Existe muito curso gratuito na internet. Então, não fique para trás, ache o seu diferencial e se especialize!

ebook escrever artigos científicos

RECEBA Nossas Novidades

Comments