Iniciação científica: imagem de destaque

Iniciação Científica: a sua jornada acadêmica de sucesso

Durante o percurso da graduação, alguns estudantes não têm contato direto com o que é a iniciação científica (IC), perdendo oportunidades de desenvolver pesquisas acadêmicas nas suas áreas de afinidade. 

Como o nome já diz, a iniciação científica é realmente o começo de uma jornada

Ela pode gerar bons frutos, além de desenvolver a criatividade para a resolução de problemas e estimular um comprometimento com a ciência e a inovação

Inclusive, segundo a Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde, os graduandos que realizam IC estão mais dispostos a fazer uma pós-graduação ao finalizar o curso.

Dessa forma, selecionamos tópicos importantes para você entender melhor sobre o assunto. 

Neste artigo vamos te apresentar os principais aspectos sobre a iniciação científica, abordando: 

Vamos começar?

Ao iniciar a vida acadêmica, muitos jovens se deparam com a pouca informação do que pode ser explorado durante a faculdade. Você já passou por isso?

Existem várias coisas que podem ser feitas e a iniciação científica é uma delas. 

Ela consiste na introdução do estudante na produção científica, ou seja, os primeiros passos no desenvolvimento de projetos, que podem durar de 6 a 12 meses, sobre um tema específico.  

Por ser puramente científico, deve ter validação ou demonstração, explicando ou solucionando um assunto. 

E não se preocupe, você não vai estar sozinho! 

Um dos passos principais para iniciar a jornada é escolher o seu orientador, a pessoa que vai te acompanhar durante todo o processo. 

Normalmente, são os professores da sua área ou da área do tema abordado que estão disponíveis para dedicar tempo e estudos no auxílio do projeto. 

Com isso, é papel do professor orientar o estudante em todo o desenvolvimento do projeto científico. 

Assim, responsabilizando-se por tirar dúvidas, indicar bibliografias que condizem com o conteúdo estudado e contribuir de todas as formas para o crescimento da pesquisa.

Dessa forma, é essencial que o aluno escolha bem o profissional que vai acompanhá-lo, optando, por exemplo, por aqueles que tenham especialidade na área abordada. 

Ah, e fica ligado: existem bolsas de estudos dedicadas às pesquisas acadêmicas, mas isso veremos ao longo do texto. 

> Carreira de pesquisador: por onde começar?

Apesar de não ser um trabalho tão fácil e necessitar de dedicação durante um longo período, acredite, você pode!

O pré-requisito para uma iniciação científica é estar devidamente matriculado em uma instituição de ensino superior, seja ela pública ou privada. 

Contudo, vale lembrar que a produção de uma pesquisa não é apenas para quem quer ingressar na carreira acadêmica!

Afinal, ela também auxilia os estudantes que querem se aprofundar em uma área de interesse, mesmo que decidam entrar no mercado de trabalho tradicional

Portanto, que tal entendermos alguns dos benefícios dessa atividade? Confere só! 

Otimização de tempo 

Pra começar, quem não quer economizar tempo e esforço na reta final da graduação? 

O aproveitamento de horas é o sonho de todo estudante, já que a maioria dos cursos tem uma quantidade de tempo exigido para a dedicação em atividades extracurriculares, como cursos, projetos, pesquisas, entre outros. 

Por isso, em alguns casos, a Iniciação Científica pode ser usada para complementar as horas acadêmicas.

Além disso, outro benefício é que o projeto tem o mesmo padrão do TCC, ou seja, a estrutura e o tema podem ser aproveitados

Porém, isso depende bastante da universidade que você está inserido.

Possibilidades de uma nova jornada 

Não tem problema estar cursando uma graduação e ainda não saber especificamente o que você quer seguir ao final dela. 

Mas os projetos científicos dão oportunidades do estudante entender como funcionam as pesquisas em nosso país, aprofundar os conhecimentos na área que tem afinidade e, talvez, se encontrar em algo que jamais imaginaria. 

Networking e autoridade 

Não precisamos falar que a iniciação científica abrirá diversas portas para você, não é? 

Pense na possibilidade de conexões que podem ser desenvolvidas durante o percurso e que, se bem feitas, os holofotes estarão em você. 

Sendo assim, é um grande diferencial no seu Currículo Lattes, além de experiência para conseguir vagas no mercado de trabalho ou dar continuidade aos estudos, ingressando em uma pós, um mestrado ou um doutorado. 

-> Currículo Lattes: o que é e dicas valiosas para criar o seu

Curioso para saber sobre as bolsas de estudo de iniciação científica? Olha só! 

Nós sabemos que alguns estudantes precisam optar entre o trabalho e a dedicação em projetos da faculdade. 

Sendo assim, uma bolsa de estudos, auxílio financeiro de instituições, pode ser uma boa alternativa para quem passa por esse tipo de problema. 

As bolsas para projetos científicos existem e é possível adquiri-las. 

Inclusive, algumas universidades oferecem parcerias, mas é importante informar que muitas vezes exigem exclusividade.

Ou seja, o aluno não pode ter outras associações, como estágio ou trabalho, para participar do processo seletivo. 

Além disso, o seu compromisso durante todo o curso (histórico escolar) pode influenciar no ganho da bolsa. 

Sendo assim, procure se dedicar desde o início e entender sobre as particularidades dos programas de iniciação científica mais conhecidos, como o PIBIC, o PIBITI e as Fundações de Amparo à Pesquisa do seu estado. 

#DicaEven3:

Converse com o seu orientador. Ele dará as melhores soluções para o desenvolvimento do seu projeto com o programa mais adequado para a inscrição. 

Chegou a hora de dar o primeiro passo. Quer saber por onde começar? Confira o próximo tópico! 

Acredite em nós, não é um bicho de sete cabeças! 

1. Defina o tema, o objeto de estudo e o problema

Vamos iniciar pelo básico? Escolha o tema, o objeto de estudo e o problema da pesquisa. 

Foque em priorizar algo que você tem uma boa relação, até porque terá que se aprofundar no assunto e, provavelmente, passar bons meses estudando sobre ele. 

-> 5 passos para formular o seu problema de pesquisa

2. Escolha bem o seu orientador 

Como abordamos anteriormente, escolher o profissional certo para o seu projeto científico não é tão fácil, mas faz uma grande diferença no percurso. 

#DicaEven3 

O orientador que vai indicar as melhores opções para a sua pesquisa provavelmente é aquele que tem afinidade com o assunto definido. Saiba quem da sua instituição é o melhor para a área escolhida!

3. Pesquise 

Selecionar um assunto que não tem tanto acervo disponível pode ser um risco e complicar ainda mais o seu trabalho.

Dessa forma, antes de bater o martelo no recorte que você dará ao tema, procure a variedade do que tem à disposição e estude a possibilidade de, inclusive, explorar outros conteúdos. 

-> Confira o guia completo das ferramentas de pesquisa

4. Planeje-se

Apesar de simples, é o que vai fazer a sua iniciação fluir sem grandes dores de cabeça. 

Cada minuto é sagrado quando trabalhamos com prazos. 

Por isso, pense no tempo que irá dedicar à pesquisa e aos encontros com o seu orientador, além de contar com outros fatores que podem acabar demandando mais do que o necessário, como entrevistas e estudos de tópicos aprofundados.  

Após desenvolver o escopo do projeto da iniciação científica, chegou a hora de levá-lo para a avaliação do orientador e para a submissão em instituições, visando, por exemplo, bolsas de estudo

Já com a aprovação, é possível iniciar o desenvolvimento da pesquisa, a coleta de dados e todos os outros pontos essenciais e discutidos com o seu professor. 

Para a apresentação do trabalho, você pode realizar diferentes formatos, como uma monografia ou um artigo científico

Aprenda como escrever Artigos Científicos incríveis

Apesar de um longo caminho, os resultados são imensos quando você se dedica a produzir um trabalho original e de qualidade, fundamental para um futuro próspero no meio acadêmico. 

Nesse caso, o nosso objetivo foi trazer o que é a iniciação científica para esclarecer tópicos relevantes e te auxiliar caso deseje começar o seu percurso. 

Inclusive, a Even3 é a maior aliada quando o assunto é eternizar a sua jornada acadêmica, abrindo espaço para o compartilhamento dos seus trabalhos acadêmicos e sendo local para o contato com outros profissionais da área. 

Portanto, não deixe o seu trabalho parado, publique! Conheça as nossas soluções:

Conheça a Even3 Publicações

Segredos e dicas sobre o mundo de eventos técnicos-científicos

Junte-se a milhares de pessoas que organizam e participam de eventos acadêmicos e científicos